Regência e Concordância

Regência e Concordância

são termos que estão ligados, pois ambas funções

servem para dar sentido e estrutura à frase.

Regência indica a função de  subordinação de termos da

frase (chamados de regentes) sobre outros

(regidos).

Ela acontece:

pela posição dos termos na oração,

através de preposições e pronomes relativos

e pela concordância.

A regência pelas preposições tem muita

importância, para podermos aprender, entender

e fazer a ligação entre os termos ligados por elas.

Principalmente no que concerne os verbos,

dado que cada verbo (transitivo indireto)

pedirá uma preposição que lhe é peculiar.

Conferir o artigo sobre Complementos Verbais.

Mas não só isso, é necessário estudar a transitividade

em geral, para saber quando um verbo é transitivo,

direto ou indireto, ou intransitivo.

Antes de darmos exemplos de regência verbal,

vamos verificar a definição de concordância.

Esta se deve ao fato de que termos (determinantes ou

dependentes) se adequam às categorias gramaticais de outros

(determinados ou principais).

A concordância pode ser nominal ou verbal e,

como o próprio nome indica, é preciso

que os termos concordem entre si.

Na concordância nominal, o adjetivo, seja ele

um nome ou um pronome, concorda com o substantivo

em gênero e número, bem como o artigo e o numeral:

casas grandes, caminho estreito, os condutores,

aquelas árvores, a mulher alta, o homem baixo,

um carro velho, uma pintura antiga, etc.

Na concordância verbal, o verbo concorda com o seu sujeito

em número e pessoa:

eu falo,

tu falas,

ele fala / ela fala,

nós falamos,

vós falais,

eles falam / elas falam.

*****

Exemplos de regência

(para aprofundar o aprendizado da língua

e aumentar o vocabulário, é preciso

ter um bom dicionário de regência verbal e nominal;

os do Celso Pedro Luft são clássicos

já em nossa língua):

aborrecer-se com

abundar em

abusar de

agradar a

agradável a

alhear-se de

amante de

análogo a

ávido de

***

blasfemar contra

bom para

batalhar por / com

***

capaz de

carecer de

cego a

chamar por

cobrir de

contíguo a

contrário a

cruel com / para com

cúmplice de

***

decidir sobre

desatento a

descender de

desculpar-se de

devoto de

doente de

doutor em

***

embelezar-se com

embriagar-se com / de

enfadar-se com

equivalente a

escolher entre

espantar-se com

exigir de

estranho a

***

falar de / com / a / sobre

fiel a

formar-se em

furioso com

***
gozar de

graduar-se em

grato a

***
habituado a

hostil a

***
impaciente com

impenetrável a

indignar-se com

indigno de

informar sobre / de

ingrato com / para com

inserir em

intrometer-se em

investir em / contra / com

***

juncar de

juntar-se a /  com

***

leal a

liberal com

livre de

louco de

lutar com / contra

***

meditar em /  sobre

morrer de / por

mudar de

mudar-se para

***

negar-se a

negociar com / em

nobre de / em / por

nutrir-se de / com

***

ocupar-se com / em / de

oposto a

optar por / entre

***

parco em / de

parecido a / com

passível de

persistir em

possuído de

***

qualificar de

querelar contra

querido de / por

***

radicar-se em

render-se a

renunciar a

resguardar-se de

resolver-se a

responsável por

retirar-se de

rogar por

romper com

***

safar-se de

sedento de / por

sensível a

solícito com

substituir por

sujeitar-se a

suplicar a / por

surdo a / de

***
tapar com

tingir de

tiritar de

trabalhar de / por / para / em

transbordar de

tremer de

***

último em / de / a

untar de / com

utilizar-se de

***

valer-se de

variar de / em

velar por

verter de / para / em

viciar-se em / com

vingar-se de / em

visar a

vizinho a / de

***

zombar de

zonear (dividir em zonas)

zonar em / com (termo chulo)

Que tal compartilhar este texto com seus amigos? Basta um clique e estará nos ajudando muito!

4 Comments

Leave a Reply