Sobre versificação em língua portuguesa (8)

Neste artigo, o oitavo desta série sobre versificação em língua portuguesa, apresentamos exemplos de versos eneassílados, que são os versos mais cantantes em nossa língua, tradicionalmente acentuados na terceira, sexta e nona sílabas métricas que, como todos sabem, são contadas até a última sílaba tônica do verso, em português. Podem acontecer variações também, com acentuação, por exemplo, na quarta, sexta e nona sílabas.

Continue lendo “Sobre versificação em língua portuguesa (8)”

Sobre versificação em língua portuguesa (7)

Passamos agora aos versos octossílabos ou octossilábicos.  Eles são acentuados tradicionalmente nas quarta e oitava sílabas. Mas há variações de acentos, como por exemplo na quinta e oitava, na segunda, sexta e oitava ou na terceira, sexta e oitava sílabas métricas. Vejamos alguns poemas escritos em versos octossilábicos, que não são muito populares. A genial e singela Cecília Meireles (1901-1964) nos mostra sua maestria com esses versos no poema “O Enorme Vestíbulo”, do seu livro Retrato Natural, de 1949.

Continue lendo “Sobre versificação em língua portuguesa (7)”

O Lado Cômico dos Filósofos e das Filosofias

Caros leitores e estudantes,

como eu gosto de Filosofia e sei que muitos também gostam, além de ser uma necessidade para todos e uma exigência para aqueles que estão se preparando para o Enem, dou uma dica aqui sobre um blog filosófico do mais alto nível, que é o Lado Cômico. Ele é escrito pelo Professor Hingo Weber, filósofo e letrista de belas canções (e meu amigo, claro), como pode ser visto em sua parceria com o poeta Ronald Augusto, do blog Poesia-pau. Com o Ronald ele realizou o cd Os Humanos, de 1998.

Valgo e varo

Estas duas palavras são importantes para descrever membros do corpo humano. Elas se referem a membros ou segmentos dos mesmos que se encontram voltados para fora, valgos, ou voltados para dentro, varos, por desvio da forma natural. Esses adjetivos concordam com os substantivos em gênero e número. Coxa valga ou vara. Membro valgo ou varo. Rui Castro, na biografia sobre a Alegria do Povo, Mané Garrincha, o descreveu como valgo e varo, por suas pernas tortas, mas que em nada impediram sua genialidade nos gramados do mundo nem sua maneira perfeita de pisar a relva.

Valhacouto

Vi em alguns lugares esta palavra escrita como velhacouto ou velha-couto. As duas formas estão erradas. O correto é valhacouto, com variação em valhacoito. E nada tem a ver com sexo. Esta palavra deriva do verbo valer + couto, no sentido de terra privilegiada, onde não entrava a justiça do rei e os criminosos podiam ficar abrigados. O significado de valhacouto é então refúgio, abrigo, asilo, amparo.

Sobre versificação em língua portuguesa (6)

Chegamos finalmente aos versos heptassílabos, que perfazem a redondilha maior, forma mais natural em nossa língua, junto com os decassílabos. Como esses versos são os mais freqüentes, há uma grande quantidade de poetas que escrevem nesse metro, que é extremamente cantante. Exemplos desses versos são muito fáceis de encontrar. A acentuação tradicional recai nas sílabas segunda, quinta e sétima, ou terceira, quinta e sétima, com variações.

Continue lendo “Sobre versificação em língua portuguesa (6)”