O período composto

Introdução ao período composto.

Depois de tratar do período simples, composto de uma única oração (absoluta), passo a abordar o período composto, cuja denominação indica possuir mais de uma oração.

As orações do período composto são chamadas de independentes ou dependentes, de acordo com a maneira com que se relacionam.

As orações independentes são unidades completas do discurso e não precisam exercer nenhuma função sintática pertencente a uma outra, reunindo em si todos os elementos necessários para formar essas unidades. São chamadas de orações coordenadas.

Por exemplo:

[Nós] Reunimos todos os participantes e [nós] votamos os projetos (ambas as orações tem sujeito, verbo e complementos).

O que não acontece com as orações dependentes, que tem a função de cumprir o papel de substantivo, adjetivo ou advérbio para uma outra oração, por isso dependem dessa outra, chamada de oração principal. São chamadas de orações subordinadas.

Exemplos:

Pai pede que você chegue mais cedo. (Pai pede algo, e esse algo, que você chegue mais cedo, é o objeto direto do verbo pedir.)

É importante que tomemos essas decisões logo. (O que é importante? O sujeito responde: que tomemos essas decisões logo.)

Ambos os exemplos mostram a segunda oração fazendo uma função sintática da primeira, mas nem sempre a oração principal é a primeira. E nem sempre ela encerra o sentido principal, pois ela tem essa função somente porque a outra faz uma função sintática dela.

***

Esta é apenas a introdução a este tema. Em outros artigos, abordaremos essas orações em mais detalhes, mas, mesmo assim, de forma resumida, pois aqui é um blog, e não um manual ou uma enciclopédia. Faço este esclarecimento porque às vezes alguns leitores reclamam desta minha abordagem.

No entanto, devo lembrar que em geral as pessoas não gostam de ler textos extensos na internet, e além disso precisam de definições concisas para resolver rapidamente suas dúvidas. É isto o que tento fazer aqui. (Às vezes o assunto não permite, como no caso dos artigos sobre versificação, em que tive que detalhar muitas coisas; mas isso acontece com qualquer um que escreve, ainda mais no meu caso, que tenho o defeito da prolixidade, e tenho que me disciplinar na concisão. )

Quando possível, indico gramáticas ou manuais de português que explicam as questões extensivamente, como no caso do autor mais citado neste blog, que é o Professor Celso Pedro Luft, de quem fui aluno na faculdade e cuja obra recomendo a qualquer estudante do nosso vernáculo.

O restante deste texto estará disponível aos leitores que clicarem no botão +1 abaixo. Isto ajuda nosso blog a ser cada vez melhor. Você não é obrigado a fazer isso, mas se fizer estará ajudando muito.


Avalie este artigo

Avaliação média: 4.75
Total de Votos: 4

O período composto

5 pensamentos em “O período composto”

  1. Carolina,
    além da leitura e explicações sobre gramática,
    não temos outro material disponível.
    O que fizemos foi divulgar aqui os cursos de redação e escrita
    e falar em público, disponíveis na página Cursos Online,
    no menu superior.
    Abraço.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *