LOGO CGP2

Figuras de Linguagem: Alegoria

Dando seqüência ao artigo Figuras de Linguagem (ou Figuras de Estilo) vimos ora falar da Alegoria.

Uma alegoria é uma representação tal que transmite um outro siginificado em adição ao significado literal do texto. Em outras palavras, é uma coisa que é dita para dar a noção de outra, normalmente por meio d’alguma ilação moral.

É bastante fácil confundir a alegoria com a metáfora, pois elas têm muitos pontos em comum.

Para melhor entender o que seja uma alegoria, podemos citar alguns exemplos.

O mais conhecido exemplo de alegoria é provável que seja O Mito da Caverna, de Platão. O autor referia-se aos mitos e superstições de seus contemporâneos, comportamento que ficou representado pela alegoria da caverna em que as pessoas ficariam presas e imóveis, sem jamais poder contemplar diretamente o que acontecia fora dali.

A Bíblia está repleta de alegorias, o próprio Cristo ensinava por meio delas. Mas antes mesmo do Novo Testamento encontramos muitas alegorias, e muitos talvez considerem uma das mais belas a que faz a comparação da história de Israel ao crescimento de uma vinha no Salmo 80.

Os ditados populares são alegorias contextualizadas:

“Água mole em pedra dura, tanto bate até que fura.”

“Mais vale um pássaro na mão que dois voando.”

“Casa de ferreiro, espeto de pau.”

Etimologicamente, o grego allegoría significa “dizer o outro”, “dizer alguma coisa diferente do sentido literal” (allos, “outro”, e agoreuein, “falar em público”).

Que tal compartilhar este texto com seus amigos? Basta um clique e estará nos ajudando muito!

Publicado por

Prof Janio

Este é um site sobre a Língua Portuguesa, cujo principal objetivo é formar e informar, levando luz a questões obscuras do idioma.

10 comentários em “Figuras de Linguagem: Alegoria”

  1. Caro Sidney,
    o material deste site pode ser publicado em outros meios
    desde que seja citada a fonte, ou seja, dado o crédito ao autor ou autores
    dos textos e o endereço do site.
    De antemão, faço o alerta sobre a lei:
    se isso não for feito, isso é considerado pirataria ou plágio.
    Em resumo, além de repassar o conhecimento,
    mostre aos seus leitores que você atua dentro da lei,
    o que assegura também a sua credibilidade.
    Abraço,
    Prof. Gentil

  2. Ola! Estou interessado em aprender um pouco do pouquíssimo que sei da língua portuguesa. Fico na dificuldade de saber se tem uma seqüência mais recomendada para que eu siga.
    (Acho melhor começando agora preocupando mais em escrever o mais aproximado da forma correta, não é?).

  3. Pingback: COMO UM LIVRO DE CONTEÚDO TÃO ERÓTICO FAZ PARTE DO CÂNON SAGRADO? | Blog da Caminhada Bíblica
  4. Raquel,
    põe precisando nisso!
    Como se diz na gíria: mete a cara no blog (em vez de mete a cara nos livros!).
    Abraço.

Os comentários estão encerrados.