Verbos Transitivos Diretos

Verbos transitivos diretos são verbos que indicam que o sujeito pratica a ação descrita, que é sofrida por outro elemento, denominado objeto direto.

Literalmente, o sujeito age sobre um objeto: João trancou a porta / Pedro ingeriu o sanduíche / Paulo chamou Helena.

Esses verbos são os únicos que admitem a oração na voz passiva (quando o sujeito sofre a ação dos objetos: A porta foi trancada por João / O sanduíche foi ingerido por Pedro / Helena foi chamada por Paulo).

Os pronomes oblíquos átonos que funcionam como objeto direto são os seguintes: me, te, se, o, a, nos, vos, os, as.
Os pronomes oblíquos tônicos que funcionam como objeto direto são os seguintes: mim, ti, si, ele, ela, nós, vós, eles, elas.

Veja exemplos abaixo; para informações mais detalhadas, por favor, veja este outro artigo nosso sobre o assunto.

Continue lendo “Verbos Transitivos Diretos”

Ortoépia x cacoépia

Esta pauta foi sugerida pelo meu amigo Janio Sarmento: a diferença entre ortoépia e cacoépia. Continue lendo “Ortoépia x cacoépia”

»crosslinked«

Conjugação do verbo irregular progredir

Como citei o verbo progredir em outro artigo, por ter uma forma irregular, tenho que colocar sua conjugação aqui como referência.

Continue lendo “Conjugação do verbo irregular progredir”

Conjugação do verbo prevenir

Lendo as notícias de um portal na internet, vi uma chamada de artigo sobre cárie e como “previni-la”. Meus olhos e ouvidos alertaram-me para a dissonância visual e fônica do verbo e fui conferir sua conjugação. E eu estava certo, pois o correto é preveni-la, conforme pode ser visto abaixo (aliás, pela própria forma do verbo no infinitivo: prevenir).

Continue lendo “Conjugação do verbo prevenir”

Orações subordinadas adverbiais

Necessariamente, as orações subordinadas adverbiais cumprem a função de advérbios das orações principais, ou de adjuntos adverbiais do verbo ou de algum outro termo da oração principal.

Continue lendo “Orações subordinadas adverbiais”

Orações subordinadas adjetivas

As orações subordinadas adjetivas logicamente exercem a função de adjetivos dos substantivos das orações principais, ou seja, são adjuntos adnominais deles. Como é sabido, as orações adjetivas são introduzidas por pronomes relativos (que, quem, o qual, etc.), com exceção daquelas que são reduzidas (como aqui: daquelas reduzidas).

Continue lendo “Orações subordinadas adjetivas”

Orações subordinadas substantivas

As orações subordinadas substantivas fazem o papel de substantivos nas orações, de forma que vão funcionar como sujeito, predicativo, objeto direto, objeto indireto, complemento nominal, aposto e agente da passiva.

Continue lendo “Orações subordinadas substantivas”

As orações dependentes ou subordinadas

As orações subordinadas, como escrevi no artigo sobre o período composto, são aquelas que dependem de uma oração principal, cumprindo uma função sintática desta. Uma não existe sem a outra, pois se houver apenas uma oração, ela será absoluta e o período será simples.

Continue lendo “As orações dependentes ou subordinadas”