As orações independentes ou coordenadas

Como o próprio nome diz, as orações coordenadas, ou independentes, coordenam-se entre si, em sequência, através do sentido que expressam e se equivalem sintaticamente.

As orações coordenadas podem ser sindéticas (ligadas por conjunções coordenativas, das quais recebem seu nome) ou assindéticas (ligadas por justaposição, e separadas por vírgula ou ponto-e-vírgula, como a célebre frase de Júlio César: “Vim, vi, venci”).

As orações coordenadas sindéticas são as seguintes (os exemplos a seguir foram retirados do Novo Manual de Português, LUFT, 1986)

  1. Aditivas (que adicionam, unem): Leio e escrevo. Não leio nem escrevo.
  2. Adversativas (que mostram oposição, contraste): Lê, mas não escreve. Estuda, mas não aprende.
  3. Alternativas (que mostram separação ou exclusão): Lê ou escreve. Ou lê, ou escreve. Ora lê, ora escreve.
  4. Conclusivas (mostram conclusão): És homem, logo (portanto) és mortal. És homem; és, pois, mortal. És homem; és mortal, pois.
  5. Explicativas (mostram justificativa): Não fumes aqui, que (porque, pois, porquanto) é perigoso. Deve ter chovido, porque (pois) o pátio está molhado.

Que tal compartilhar este texto com seus amigos? Basta um clique e estará nos ajudando muito!

Avalie este artigo

Avaliação média: 5
Total de Votos: 2

As orações independentes ou coordenadas

3 pensamentos em “As orações independentes ou coordenadas”

  1. Minha maior dificuldade é na parte de Gramática e um dos maiores desejos é fazer um curso de Letras; podem mim ajudar?

Os comentários estão desativados.