A diferença entre espiar e expiar

Nestes tempos terríveis de vício em espiar a vida alheia, os espiadores (que espiam, observam secretamente) muitas vezes se atropelam na ânsia de fazer seus comentários, e trocam o S pelo X e vice-versa.

Desta forma, espiar vira expiar, e expiar transforma-se em espiar.

E o velho bode expiatório (que costumava livrar as pessoas da culpa) aparece como um mero “bode espiatório”.

Sem mais delongas, passemos às definições.

Espiar

Primeiro, espiar: observar de modo secreto, sem ser notado, espreitar (o pessoal nas redes sociais prefere a horrível adaptação do verbo to stalk, do inglês: “stalkear”; como se isso fosse mais fácil de escrever que espreitar).

Espiar, que é o ato do espião, é sinônimo de espionar.

Expiar

Já expiar significa reparar uma culpa ou uma falta, redimir-se de um ato ofensivo, ou crime; daí expiar pecados (ou, como se diz no popular, pagar os pecados).

Também quer dizer sofrer pelos atos criminosos cometidos: expiar um crime na prisão.

Assim, enquanto as pessoas espiam a vida alheia, ou produzem vida alheia para ser espiada, nós, pobres mortais, expiamos nossos pecados mais terríveis ao ter que aguentar as reverberações dessas aberrações.

Como já dizia Shakespeare: Muito Barulho Por Nada!

Que tal compartilhar este texto com seus amigos? Basta um clique e estará nos ajudando muito!

2 pensamentos em “A diferença entre espiar e expiar”

  1. Não precisa nenhuma inscrição, todo o material está disponível para leitura no blog.
    Abraço.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *